quarta-feira, 17 de outubro de 2018

MULHER OFERECE DROGA PARA POLICIAIS E VAI EM CANA

Na casa foram encontradas pedras de crack e dinheiro em Ouro Fino — Foto: Polícia MilitarNa casa foram encontradas pedras de crack e dinheiro em Ouro Fino — Foto: Polícia MilitarNa casa foram encontradas pedras de crack e dinheiro em Ouro Fino — Foto: Polícia Militar
Uma mulher foi presa em flagrante na noite desta segunda-feira (15) após tentar oferecer drogas para policiais militares no Centro de Ouro Fino (MG). De acordo com a PM, ela teria confundido os militares com usuários de drogas.
Segundo informações, os policiais verificavam uma movimentação suspeita no local quando a mulher saiu da casa e perguntou quantas pedras de crack eles queriam comprar. A PM acredita que, por se tratar de um beco com má iluminação, ela confundiu os militares com usuários e pensou que estavam ali para comprar drogas.
Na casa dela foram encontradas quatro pedras de crack e R$ 51 em dinheiro. A suspeita, que já é conhecida no meio policial, foi presa em flagrante e encaminhada para a delegacia de Polícia Civil de Pouso Alegre.


Dê:G1

ZEMA, 66%, ANASTASIA, 34% - VOTOS VÁLIDOS - IBOPE/MG



--:--/--:--
Ibope - MG, votos válidos: Zema, 66%; Anastasia, 34%
O Ibope divulgou nesta quarta-feira (17) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição para o governo de Minas Gerais. O levantamento foi realizado entre segunda (15) e esta quarta-feira (17) e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos.
Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:
  • Romeu Zema (Novo): 66%
  • Antonio Anastasia (PSDB): 34%
Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos totais

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:
  • Romeu Zema (Novo): 57%
  • Antonio Anastasia: 29%
  • Em branco/nulo: 8%
  • Não sabe: 6%
Intenção de voto - Ibope - Minas  — Foto: Editoria de Arte/Globo MinasIntenção de voto - Ibope - Minas  — Foto: Editoria de Arte/Globo MinasIntenção de voto - Ibope - Minas — Foto: Editoria de Arte/Globo Minas

                                  Rejeição

A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para o governo de Minas. O Ibope perguntou: “Para cada um dos candidatos a Governador de Minas Gerais que eu citar, gostaria que o(a) sr(a) me dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele”.

                            Romeu Zema

  • Com certeza votaria nele para governador de Minas Gerais - 40%
  • Poderia votar nele para governador de Minas Gerais - 20%
  • Não votaria nele de jeito nenhum para governador de Minas Gerais - 13%
  • Não o conhece o suficiente para opinar - 25%
  • Não sabem ou não responderam - 2%

  • Antonio Anastasia

           

  • Com certeza votaria nele para governador de Minas Gerais - 19%
  • Poderia votar nele para governador de Minas Gerais - 20%
  • Não votaria nele de jeito nenhum para governador de Minas Gerais - 41%
  • Não o conhece o suficiente para opinar - 18%
  • Não sabem ou não responderam - 3% 

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 1512 eleitores em 94 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 15 a 17 de outubro
  • Registro no TSE: BR‐09365/2018
  • Registro no TRE: MG-00033/2018
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo
O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 3 pontos, para mais ou para menos.

POLÍCIA CUMPRE MANDATOS DE PRISÃO EM VARGINHA E ELÓI MENDES - "Operação Calhambeque", visa desarticular quadrilhas ligadas ao roubo e desmanche de veículos




O Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), e a Polícia Militar deflagraram a segunda fase da Operação Calhambeque. Três pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira (17) em Varginha (MG) e Elói Mendes (MG). A ação combate a receptação de carros e peças roubados, furtados ou vindos de fraudes de seguradoras.
De acordo com a Polícia Militar, um dos sete mandados expedidos pela Justiça foi cumprido na cadeia de Elói Mendes. O suspeito já estava preso e teve sua assinatura colhida.
"Foi denunciado novamente o líder da organização criminosa, que se encontra preso em Elói Mendes, foram denunciadas ainda pessoas que são funcionárias, que executavam o serviço de desmanche de veículos, transporte de veículos produtos de crime e também venda de peças de veículo com sinais identificadores adulterados", diz o promotor Daniel Ribeiro Costa.
Outros três suspeitos já haviam sido encaminhados para a delegacia de plantão de Varginha. Três pessoas estão foragidas.
"Foram também denunciadas pessoas que são líderes de organizações criminosas em Varginha, que ou cediam o espaço para que os veículos fossem desmontados e também auxiliavam no transporte de peças, cedendo veículos próprios para que essas peças fossem transitadas entre Varginha e Elói Mendes", completa o promotor.
As três pessoas que foram presas nesta quarta-feira foram levadas para o presídio de Elói Mendes.

                         Operação Calhambeque
A operação pretende desmantelar uma organização criminosa que atua nos estados de Minas Gerais e São Paulo. Na primeira fase, os suspeitos foram denunciados por crimes de receptação qualificada, estelionato, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e organização criminosa.
Durante as investigações, alguns veículos roubados foram localizados e foram realizadas 12 prisões em flagrante. As investigações apontaram ainda para outros crimes cometidos pela organização criminosa, como receptação qualificada, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e corrupção de menores.
Os suspeitos realizavam desmanche e vendiam as peças em estabelecimentos locais. A Confederação Nacional de Empresas e Seguros estima que as ações criminosas geraram um prejuízo em 2016 que chegou a R$ 520 milhões.




Operação Calhambeque combate organização criminosa no Sul de MG — Foto: Manoela Borges/EPTV

Dê: G1